sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Onde se achará o amor que o tempo não enfraquece?



Tudo “muda” o tempo, tudo faz esquecer, tudo gasta, tudo digere, tudo acaba, “nada, porém está tão sujeito á jurisdição do tempo como o amor”. São as afeições como as vidas, que não há mais certo sinal de haverem de durar pouco que terem durado muito. São como as linhas que partem do centro para a circunferência, que quanto mais continuadas tanto menos unidas. Por isso os antigos sabiamente pintaram o amor menino, porque não há amor tão robusto que chegue a ser velho. De todos os instrumentos, com que o armou a natureza, o desarma o tempo. Afrouxa-lhe o arco, com que já não tira; embota-lhe as setas, com que já não fere; abre-lhe os olhos, com que vê o que não via; e faz-lhe crescer as asas, com que voa e foge. A razão natural de toda esta diferença é porque o tempo tira a novidade às coisas, descobre-lhe os defeitos, enfastia-lhe o gosto e basta que sejam usadas para não serem as mesmas. Gasta-se o ferro com o uso, quanto mais o amor? O mesmo ter amado é causa de não amar, e o ter amado muito, de amar menos.
Estes são os poderes do tempo sobre o amor: mas sobre qual amor? Sobre o amor humano que é fraco; sobre o amor humano que é inconstante; sobre o amor humano que não se governa “pela” razão se não “pelo” apetite; sobre o amor humano que ainda quando parece mais fino é grosseiro e imperfeito. O amor a quem “mudou” o tempo bem poderá ser que fosse doença mas não é amor. O amor verdadeiro vive imortal sobre a esfera da mudança; e não chegam lá as jurisdições do tempo. Nem os anos o diminuem, nem os séculos o enfraquecem, nem as eternidades o cansam: «Omni tempore diligit qui amicus est», disse nos seus provérbios Salomão. Tão isento da jurisdição do tempo é o verdadeiro amor.
Porém um tal amor onde se achará? Só em vós, amante divino, só em vós.
[P. António Vieira]

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

sábado, 24 de outubro de 2009

XXX Domingo do Tempo Comum


quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Tomai, Senhor, e recebei...

video

Tomai, Senhor, e recebei
toda a minha liberdade,
a minha memória,
o meu entendimento
e toda a minha vontade,
tudo o que tenho e possuo;
Vós mo destes;
a Vós, Senhor, o restituo.
Tudo é vosso,
disponde de tudo,
à vossa inteira vontade.
Dai-me o vosso amor e graça,
que esta me basta.
[Sto. Inácio]

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

A PALAVRA TORNA-SE ACÇÃO


A palavra final do Congresso Missionário foi um apelo à encarnação da Missão na nossa vida:
Abres a página dobrada sobre o vinco:
as palavras saltarão para o teu colo,
para o teu rosto, para o teu regaço,
para o teu sorriso, para a tua mão
Estão vivas as palavras, meu irmão,
estão vivas.
acordam quando tu as lês,
todos os dias,
quando desdobras a página, o coração,
onde dormem suavemente enternecidas.
Um vinco na página,
aí está o congresso, não de gesso,
mas um gesto aberto e de terna comunhão.
Senhora da Anunciação, que corres ligeira pelos montes,
vela por nós, fica à nossa beira.
É bom ter a esperança como companheira.
Vai, meu irmão!
Vai, minha irmã!
Não deixes para amanhã
a beleza dos teus passos sobre os montes:
Vive a missão, rasga horizontes.


[D. António Couto
Presidente da Comissão Episcopal das Missões]

sábado, 17 de outubro de 2009

XXIX Domingo do Tempo Comum

Dia Mundial das Missões

Madre Teresa de Calcutá possuía um corpo franzino, mas o seu amor era tão grande que realizou uma obra que iluminou o mundo inteiro. Ela mostra-nos que o Reino de Deus é possível através de pequenos gestos, pequenos sacrifícios em prol daque­les que mais necessitam e sempre em nome do amor:

Tem sempre presente, que a pele se enruga, que o cabelo se torna branco, que os dias se convertem em anos, mas o mais importante não muda! A tua força interior e as tuas convicções não têm idade. Atrás de cada linha de chegada, há uma de partida. Atrás de cada triunfo, há outro desafio. Enquanto estiveres vivo, sente-te vivo. Mas nunca te detenhas!

[Obras Missionárias Pontifícias]

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Missão 2009

«Somos todos contemporâneos do Ressuscitado»


"Muita gente, nas nossas paróquias, escolas e movimentos, permanece firmemente agarrada aos valores evangélicos, sobretudo aqueles que temos em comum com todos os homens de boa vontade, tais como a liberdade, a justiça, a paz, a solidariedade, o respeito pela criação. Mas este culto dos valores está separado do culto da pessoa viva de Cristo, e manifesta-se no deficit da oração, da adoração, da prática sacramental. Cristo é então relegado para um discurso no passado e na 3.ª pessoa, do género: «ele disse isto», «ele fez aquilo». Neste discurso, há uma ausência significativa do vocativo da oração e do encontro sacramental. Um tal cristianismo, reduzido a uma ética, não pode resistir muito tempo. Somos todos contemporâneos do Ressuscitado. Não simples continuadores. Ele está connosco todos os dias (Mt 28,20), presidindo-nos, precedendo-nos, chamando-nos e enviando-nos, implicando-nos na sua missão. A igreja é a esposa de Cristo. Não a sua viúva nem a sua filha."

[D. António Couto]

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Solenidade da Santa Madre Teresa de Jesus


Hoje, a familia carmelita está em festa.
Une-se para celebrar a festa da sua mãe e fundadora,
Santa Teresa de Jesus.
Feliz dia para todos!

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

domingo, 11 de outubro de 2009

Recomendações - Santa Teresa de Jesus (3)


«Li na vida de Santa Teresa que ela recomenda, àqueles que principiam a orar, imaginar a alma como um jardim cheio de ervas e plantas daninhas, tudo muito seco. Ao principiar a orar, o Senhor põe nele plantas formosas, das quais devemos cuidar para que não sequem. Para isso, os que principiam sempre têm de tirar água do poço, o que é custoso, pois são as dificuldades que cada um tropeça ao principiar a oração»

[Testemunho de Santa Teresa dos Andes]

sábado, 10 de outubro de 2009

XXVIII Domingo do Tempo Comum


Oh meu Deus,
o eco da Tua voz passa pelo meu pequeno mundo,
com ternos sentimentos que deixam pedaços de amor no meu coração!
Nas tuas palavras,
compreendo os reflexos da Tua felicidade!
Humilde e confiadamente Te peço,
a graça da Tua luz para melhor Te conhecer e mais amar!
Oh meu Deus,
Tu que me chamas a seguir-Te,
reforça as portas da minha alma
não te separes de mim nesta hora,
em que me chamas .
Ámen.

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Recomendações - Santa Teresa de Jesus (2)



«Só me alongarei em falar de três, que são parte da mesma Constituição, porque é muito importante o grande proveito de guardar essas coisas para ter a paz interior e exterior que o Senhor tanto nos recomendou: a primeira é o amor de umas para com as outras, a segunda, o desapego de todo o criado; a terceira, a verdadeira humildade – que, embora tratada por último, é a principal.»

[Santa Teresa de Jesus – Caminho de Perfeição]

terça-feira, 6 de outubro de 2009

ADORAÇÃO EUCARISTICA | OUTUBRO

É a hora de estar com o Senhor,
sem pressas...
Quarta-feira, dia 7 de Outubro - 18H15
Convento do Carmo I Viana do Castelo

Recomendações - Santa Teresa de Jesus (1)

FELIZ O QUE AMA A DEUS

Ditoso o coração enamorado
Que só em Deus coloca o pensamento;
Por Ele renuncia a todo o criado,
Nele acha glória, paz, contentamento.
Vive até de si mesmo descuidado,
Pois no seu Deus traz todo o seu intento.
E assim transpõe sereno e jubiloso
As ondas deste mar tempestuoso.

[Fonte: Obras Completas – Poesias V,VIII, II – Santa Teresa de Jesus]

domingo, 4 de outubro de 2009

XXVII Domingo do Tempo Comum

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Festa de Santa Teresinha do Menino Jesus


A Ordem carmelita está em Festa.
Festa de Santa Teresinha do Menino Jesus

Santa Teresinha, por decisão pontifícia, é a Padroeira universal de todas as missões do mundo e de todos os missionários e missionárias da Igreja Católica. Os desejos de Santa Teresinha, cumpriram-se em toda a sua plenitude... salvar almas, apóstolo, pregar o Evangelho, em todo o lado ao mesmo tempo e não apenas por algum tempo, mas desde a criação do mundo até ao fim dos tempos...

Descubramos o modo pelo qual também nós, jovens missionários carmelitas, queremos chegar a Deus... Descubramos o Amor!